Breves Notas: "Risk To Exist", Maximo Park

Os Maximo Park são umas das nossas bandas de referência. Acompanhamos desde há muito a sua carreira, e foi com entusiasmo que me pus a escutar o novo disco.

"Risk To Exist" é provavelmente o seu disco mais político, mais crítico sobre o actual estado das nações (sobretudo do Reino Unido). Pensar-se-ia que se tornaria chato e pesado, mas as mensagens diluem-se (talvez demasiado) em canções cheias de ritmo, polidas, com um ligeiro optimismo, até - acho que não poderia ser de outra forma, eles nunca soaram depressivos, pois não?

É, de facto, um disco com fortes melodias. É dance-friendly, o lado indie continua lá, há pop e rock, e groove e funk. Mas parece-me, sempre que o ouço, que lhes falta um «je ne sais quoi» para ser um grande disco.


As canções soam bem, mas pouco arriscadas.
A intro de guitarras, dramática e intensa do primeiro single, "Risk To Exist, antecipava coisas muito boas. O baixo de "What Did We Do To You To Deserve This" é das melhores coisas, tal como os sintetizadores de "The Hero".


Ouvi o disco tantas, mas tantas vezes e não me sai nada de extraordinário sobre ele. É um disco que se ouve, mas que não agarra. Que até cumpre, mas não excede. Que mostra uns Maximo Park de boa saúde, mas que não os faz brilhar.
E deles, ao sexto disco, esperava muito mais.

Comentários

Phonograph Me on Instagram