A "rentrée" da Azáfama

Ora bem, pelos posts mais recentes, já todos perceberam que por aqui acompanhamos com bastante atenção os projectos da Azáfama - Produções ArtísticasJá falámos dos Trêsporcento (com o disco ao vivo quase, quase a sair) e d'O Martim, e mencionámos outros, como f l u m e (que terá até ao final do ano novidades) quando abordámos a edição do Faz Música Lisboa deste ano.

A partir de Setembro, diz que há novidades. E das boas.

Capitão Capitão prepara-se para lançar o seu segundo EP (finalmente) nas próximas semanas, e eu acredito que se incluir temas tão interessantes e apaixonantes como "O Grande Mentiroso", "A Faca" ou "O Lugar" será de certeza um sucesso.




Vitorino Voador - que eu ando com vontade de ver ao vivo - é o projecto a solo de João Gil, que conheci com os You Can't Win, Charlie Brown. Soa a pop, sim, mas não daquela que se consome de imediato e se esquece. Muito pelo contrário. É algo que se vai entranhando, que nos vai conquistando a cada escuta. E depois não nos larga. (E constou-nos que também tem coisas novas a caminho).






Mas a maior novidade são os "La Macchina Volante" - de Djaco Loredo, músico brasileiro e cidadão do mundo. O seu primeiro registo "Nomacidade" deverá sair oficialmente no próximo dia 16 de Setembro, e, após escutar os temas que têm sido disponibilizados, o som dos La Macchina Volante sabe a muita coisa: a rock, a coisas étnicas, a coisas sul americanas. Estilos distintos em (perfeita?) harmonia. É quase - se não for mesmo - música de fusão. Talvez por isso se assumam como uma banda de tropical gipsy rock. E eu assumo, no mínimo, a curiosidade com este projecto.





Motivos mais do que suficientes para que o Outono chegue depressa, não acham? :)

Comentários

Phonograph Me on Instagram