"Disappear Completely" e "Creatures", ou como foi tão fácil ficar apaixonada pelos Werewolf Club


Hoje o dia acaba ao som das magnéticas e incontestavelmente maravilhosas músicas dos americanos Werewolf Club, um projecto com base em Reno, Nevada, que tem um som que me surpreendeu logo desde o início e que me fez ficar apaixonada.
E não, não vou falar só numa canção, escolhi duas hoje. Duas canções que, sendo homogéneas, revelam diferentes características da banda que ajudam a conhecer melhor o seu trabalho.

Os Werewolf Club são um projecto muito interessante: têm influências dos anos 80 com uma vibe retro muito marcada e muito audível. Música bem feita e com características dançantes, daquelas que eu gosto e que depois não me saem da cabeça.


São canções muito apetecíveis, "Disappear Completely" mais densa e com qualquer coisa de mais calmo que "Creatures", mas ambas marcadamente electrónicas e muito melodiosas.

A banda tem um som que sempre me fez pensar nos franceses Juveniles assim que os ouvi, muito por causa da sua sofisticação, ou da forma como eles pegam num tema que já todos conhecemos (os anos 80) e conseguem trazer-nos um som que tem características de 2019, que é novo, que marca e que não se ouve por aí todos os dias.


Tudo por causa do uso muito bem pensado dos sintetizadores e das linhas de baixo, que fazem com que até os seres mais distraídos batam o pé e sintam aquela urgência de cantar.

O projecto é novo, mas apresenta-se com canções muito coerentes e cheias de personalidade. Cheias de um som que não se confunde: uma vez ouvido, não nos conseguimos mais esquecer dele, nem da sua complexidade sonora, que define o trabalho dos Werewolf Club.
Palavra de Chavininha.

Comentários

Phonograph Me on Instagram